Vatsun EP

by vatsun

/
  • Streaming + Download

    Includes unlimited streaming via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more.

      €2 EUR  or more

     

1.
03:28
2.
04:14
3.
03:53
4.
03:58
5.
04:34

about

Download inclui imagens exclusivas do vídeo da Lenda.

Gravado e misturado entre Outubro 2013 e Abril de 2014 por Vatsun.
Editado pela Grado a 7 de Abril de 2014.

credits

released April 7, 2014

Vatsun

tags

license

all rights reserved

about

vatsun Lisbon, Portugal

contact / help

Contact vatsun

Streaming and
Download help

Redeem code

Track Name: Modas
és de modas, és de modas
e eu também sou.
conta coisas, conta coisas.
sem moral para inventar,
imita uma coisa qualquer
eu sou a tua audiência.

és de modas, és de modas
e eu também sou.
conta coisas, conta coisas.
ofendido como tu
não percebo o meu valor
em perfeita decadência.

e aqui no meu caso nunca discordei.
a vida é só um belo acaso que eu imitei.
para ter aqui um filho perdido.
para ser de modas,
só ser de modas.

és de modas, és de modas
e eu também sou.
acabarei a imitar
a tua moda mais audaz
até ao dia em que tu a hás
de odiar.

e aqui no meu caso nunca discordei.
a vida é só um belo acaso que eu imitei.
para ter aqui um filho perdido.
para ser de modas,
só ser de modas.

para ter aqui um filho perdido.
para ter aqui um filho perdido.
para ter aqui um filho perdido.
para ter aqui um filho perdido.
para ser de modas,
só ser de modas.
para ser de modas,
só ser de modas.
Track Name: Nunca
sem o sol
vejo mal
a pele que é tal e qual papel
segue a ruga
linha a linha
o traço faz imaginar
o teu passado
um mapa que gostas de usar
sem o sol
vejo mal
a pele que é tal e qual papel

há uma queda para dar
algo mais que tentar
ergue-me de novo e estou
ergue-me de novo e estou
no lado bom
no lado bom
no lado bom

sem tal
sinto mal
a pele que é tal e qual papel
numa ida
tão contida
onde vamos sem voltar
no teu passeio
um jogo que eu gosto de errar
sem tal
sinto mal
a pele que é tal e qual papel

há uma queda para dar
algo mais que tentar
ergue-me de novo e estou
ergue-me de novo e estou
no lado bom
no lado bom
no lado bom

quem saiba
eu sou feliz aqui
eu nunca saberei
eu finjo que cresci
Track Name: Elo
na rotação do hemisfério
o coração guia o império
na tua voz,
no teu mistério
e eu sem noção

pronto a ir estrada fora,
mas já não,
na minha demora estará a tua mão.
pronto a ir estrada fora,
mas já não,
na minha demora estará a tua mão.

na direcção
do meu ponteiro
sigo glórias em vão
falho a corpo inteiro.
sem a solução
sem o teu roteiro,
perco a noção.

pronto a ir estrada fora,
mas já não,
na minha demora estará a tua mão
pronto a ir estrada fora.
mas já não,
na minha demora estará a tua mão.


se ela for
eu perco o chão.
se ela for
eu perco
a tarde, e a noite. o metro e o rio.
a baixa, o sol, o bar e o frio.
e o elo.
e o elo.
eu perco o chão.
eu perco o chão.
Track Name: Alguém
quem sabe quem ele é
não sei
nada do que ele faz
faz bem
o mundo culpa sempre a mãe
mas tu amas quem matas também

ninguém é alguém sem alguém
e tu querias tempo também
espreito casas e vejo bem
nada nada nada não

então?
há sempre separação
de tempos e de espaços mais não
eu vi-te nesse fluxo e parei
eu queria o teu caminho também

ninguém é alguém sem alguém
e tu és uma noiva também
dançamos na fogueira à beira-mar
nós num passado que haverá

e quando ficamos sem nada a dizer
eu sigo o caminho que te apetecer
enquanto preparas um adeus para mim
apago os fantasmas que levam a ti

mas ei!

ninguém é alguém sem alguém
e sem ti sou fantasma também
sem ti sou fantasma também
Track Name: Lenda
há de ser um chão
o que forma a tua mão
para ensaiar
fica em cena
esta vida
tantos actos de seguida

vê se perguntas numa estação
numa língua que fale o verão
quanto tempo vamos estar aqui
a acordar sempre a rir
mas há quem rode o sol
e um mar que enrole
alagado em mel
água em pele com pele
reza
a nossa lenda
que isto sempre foi
esse véu
para eu levantar

pedra basilar
a dança que forma um lar
sem saber passaste a ensinar
um infinito tão completo
forma-se aqui no deserto

vê se perguntas numa estação
numa língua que fale o verão
quanto tempo vamos estar aqui
a acordar sempre a rir
mas há quem rode o sol
e um mar que enrole
alagado em mel
água em pele com pele
reza
a nossa lenda
que isto sempre foi
esse véu
para eu levantar